sexta-feira, 2 de julho de 2010

Alfabetizando a Língua II

Inconstante, incompreensível
Juntaria então as palavras ambíguas
Lamentando a falha imprevisível
Montando-as, fazendo delas suas amigas

Nunca mais teria problemas
Ostentaria sua normose plena
Perante tantos dilemas
Que faz nossa cabeça girar
Retirando um acento da letra "A"

Seduzido por essa teia de pureza
Totalmente obliterado por tal riqueza
Um dia hei de ter, cansado de tanto ler
Viajando em minha própria mente
Xícara de café quente
Zarpar para o mundo do português ascendente

4 comentários:

  1. Eu queria saber escrever poemas..

    ResponderExcluir
  2. hsauuhsauh eh nois nesse poema ai.. normose plena sauhshau
    valeu tio! ta massa a saga alfabetizando a lingua

    ResponderExcluir

Desde já agradeço o comentário. Volte mais vezes!